Anuncie

Confira o balanço das festas de réveillon pelas capitais do país


Shows de fogos de artifícios, apresentações de grandes artistas nacionais, medidas de segurança reforçadas... Confira como foi a festa de réveillon, na virada de 2017 para 2018, em algumas das principais capitais do Brasil.

Rio de Janeiro

A tradicional festa de revéillon do Rio de Janeiro, nas areias de Copacabana, foi marcada por uma série de eventos inéditos:  2,4 milhões de pessoas, show de fogos de artifício com 17 minutos de duração e a cantora Anitta como atração principal da noite.Cerca e 25 toneladas de fogos, espalhados por 11 balsas, coloriram o céu da cidade com formas geométricas, corações e carinhas felizes.

A edição 2017-2018  teve como tema “Abraço”, gerando uma confraternização entre o público presente, embalado também por nomes como DJ Tucho, Ana Petkovic, Belo, Cidade Negra e Frejat.

Não houve grande registro de violência, mas as queixas de furtos teriam aumentado logo após a queima de fogos, de acordo com a 12ª DP (Copacabana). Entre os casos mais graves está um atropelamento ocorrido no Viaduto Santiago Dantas, que chegou a interditar uma das faixas da via e a perturbar o trânsito na região.

São Paulo

Cerca de 1,7 milhão de pessoas passaram pela Avenida Paulista por volta da meia-noite, segundo a organização do evento, onde foram recebidas com shows de Claudia Leitte, Latino, Sambô e Dj Memê. A participação do público superou as expectativas, segundo a Folha de São Paulo, já que era esperado um público de 1,2 milhão.

Mesmo sem chuva, ao contrário do que havia sido previsto para a noite da virada do ano em São Paulo, quem compareceu à festa promovida pela prefeitura da capital teve motivos para reclamar: o preço da bebida. Cada latinha de cerveja era vendida a R$ 10.  “Isso é um roubo, até parece que é para afastar quem é pobre", disse a cabeleireira Sônia Regina Gomes, 55, à Folha.

Os pontos altos da festa ficaram por conta da segurança, já que nesta edição da festa a Avenida Paulista foi separada em quadrantes, com cercas que dividiam grupos de até 500 pessoas. Na medida em que um quadrante atingia a sua lotação, a segurança do evento fechava o espaço e abria outro.

“É uma festa reconhecida, com segurança, ainda mais quando você vem com criança", disse a universitária Talita Lima ao jornal. Segundo a organização do evento, até 00h30 não foram registrados graves incidentes pela polícia. A segurança foi reforçada por 3 mil pessoas, entre policiais militares, guardas civis metropolitanos e seguranças privados.

Salvador

A contagem regressiva do Festival Virada Salvador, como é conhecida a festa de revéillon na capital baiana, foi puxada pela cantora Ivete Sangalo, grávida de gêmeos, com sete meses de gestação.

“Muita saúde, muito amor. Tolerância, paz, alegria, vida, harmonia, respeito, muita música, gratidão a Ele que deu a vida pra gente. Que seja um ano de prosperidade, de não violência, de alegria, de fé, de boas notícias”, disse Ivete no palco, segundo o G1. A  expectativa de público era de 500 mil  pessoas, dados ainda não confirmados pelas autoridades locais.

Antes mesmo do pôr-do-sol a festa já havia começado para os turistas e soterapolitanos, com a abertura do evento por volta das 17h, pelo grupo Ilê Ayê, seguido por Amanda Santiago. Após a chegada de Ivete, a festa seguiu com 15 minutos de show pirotécnico acompanhado por uma trilha sonora especial, além de atrações como Bell Marques e a dupla Jorge e Matheus.

Brasília

Com um número de participantes menor que nas outras cidades, a festa de réveillon de Brasília se dividiu em dois pólos principais:  na Esplanada dos Ministérios, com um público de 40 mil, e na Prainha dos Orixás, com 4,5 mil presentes, segundo o G1.

A festa foi comandada por duas presenças femininas fortes, de estilos diferentes. A cantora Alcione subiu primeiro ao palco do evento na Esplanada dos Ministérios, por volta das 21h20. Mas quem puxou a contagem da virada do ano no centro da capital federal foi a cantora Joelma (ex-Calypso), seguida por um show pirotécnico de 10 minutos de duração.

"Fiquei muito feliz ao ser convidada para fazer a contagem regressiva. Subo no palco com alegria, respeito ao público, muita dança e alto astral", comentou a cantora durante a apresentação.

Segundo informações da polícia, não houve registros graves de violência na virada do ano em Brasília. Ainda de acordo com o portal, o evento teria custado R$ 1.965.327,60 aos cofres públicos, gasto total com estrutura, contratações e cachês de artistas locais.

01 jan 2018


Por Redação
Anuncie

Artigos Recentes

Kroton fecha compra da Somos Educação por R$ 4,6 bilhões

Kroton fecha compra da Somos Educação por R$ 4,6 bilhões

em Economia

A compra do controle da Somos foi realizada por meio da holding Saber, criada pela Kroton para incorporar ativos de educação básica

Com mais R$ 400 mi por ano, Messi é o mais bem pago do mundo

Com mais R$ 400 mi por ano, Messi é o mais bem pago do mundo

em Esporte

A revista francesa destaca que pela primeira vez desde que passou a fazer levantamento (há 20 anos), um atleta recebe mais de 100 milhões de euros por temporada

Marcos Valério: 'As facções criminosas estão dentro dos partidos'

Marcos Valério: 'As facções criminosas estão dentro dos partidos'

em Política

Na prisão, onde cumpre pena no processo do mensalão, o publicitário ainda fala sobre a prisão de Lula e o sistema carcerário brasileiro

Pré-candidatos ao Planalto somam mais de 160 investigações

Pré-candidatos ao Planalto somam mais de 160 investigações

em Política

Processos vão de crimes políticos investigados pela Lava Jato, a agressões verbais e infrações de trânsito

Anuncie