Anuncie

Cresce número de brasileiros que 'mora de favor', mostra IBGE


Uma pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (26) revela que há cada vez mais brasileiros "morando de favor", ou seja, ocupando domicílios emprestados por terceiros, no qual nenhum dos moradores paga pela moradia.

De acordo com o levantamento publicado pelo G1, o total de domicílios no país aumentou 0,8% entre 2016 e 2017. No período, foram construídos 549 mil imóveis, somando um total de 69,8 milhões de domicílio em todo o Brasil.

Já o número de imóveis cedido cresceu 7% em 2017 e passou de 5,6 milhões para 6 milhões, atingindo 396 mil imóveis emprestados. De acordo com a pesquisa, 70% das novas residências passaram a ser classificadas nessa categoria.

O IBGE também constatou que 67,8% dos imóveis eram próprios e já quitados no ano passado; 17,6% eram alugados; 8,7% eram cedidos; 5,6% eram próprios, mas estavam sendo pagos; e 0,2% eram invadidos.

26 abr 2018


Por Redação
Anuncie

Artigos Recentes

STJ pode mandar 197 processos sobre autoridades a instâncias inferiores

STJ pode mandar 197 processos sobre autoridades a instâncias inferiores

em Política

Corte decide na próximas semana se adota entendimento do STF de restringir o foro privilegiado para deputados e senadores

Daniel Alves está fora da Copa do Mundo

Daniel Alves está fora da Copa do Mundo

em Esporte

A comissão técnica da CBF avaliou o jogador e concluiu que ele não terá condições de disputar o Mundial da Rússia

Para manter Lula candidato, PT pode recorrer a tratados internacionais

Para manter Lula candidato, PT pode recorrer a tratados internacionais

em Política

Entre as medidas está um recurso baseado no Pacto de San José da Costa Rica, que estabelece que só pode ser impedido de se candidatar aquele que já esgotou todos os recursos possíveis

Petrobras volta a ser a maior empresa da Bolsa em valor de mercado

Petrobras volta a ser a maior empresa da Bolsa em valor de mercado

em Economia

Em meio à crise financeira e escândalos de corrupção, a petroleira caiu para a 3ª posição em 2014, ficando atrás da Ambev e do Itaú Unibanco

Anuncie