Anuncie

Datafolha: PSL cresce e empata com PSDB na preferência do brasileiro


Partido de Bolsonaro, o nanico PSL está empatado com o PSDB e o MDB na preferência partidária do brasileiro, aponta o Datafolha.

O PSL foi citado por 4% dos entrevistados, enquanto PSDB e MDB, por 3% cada um. Como a margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, os três partidos estão tecnicamente empatados.

O PT permanece na liderança da pesquisa, com 21%, mas oscilou negativamente em relação a agosto, quando tinha 24%. 

PDT, PSOL e Novo registraram 1% cada um. 

Partido de pouca expressão fundado há duas décadas, o PSL ganhou destaque nacional em janeiro, quando o deputado Jair Bolsonaro se filiou à sigla para disputar a eleição. O capitão lidera a disputa à Presidência, com 32%.

Até junho deste ano, a sigla nunca havia pontuado no levantamento do Datafolha. Com o início da campanha, passou a 1% no final de agosto, 3% em setembro e 4% neste começo de outubro. Divide agora a segunda posição da pesquisa com partidos bem mais tradicionais, PSDB e MDB.

Estes dois últimos oscilaram de 4%, em agosto, para 3%.

O PSL também incrementou sua representação na Câmara. Na eleição de 2014 elegeu apenas um deputado, mas com a entrada de Bolsonaro decolou para uma bancada de 8 deputados federais.

O Datafolha realiza a pesquisa de preferência partidária desde 1989. Na série histórica, a maior parcela da população sempre declarou não ter simpatia por nenhum partido. O número chegou a 64% em junho deste ano, mas caiu para 53% nesta última sondagem.

O PT é o partido preferido dos brasileiros desde 1999. Teve seu melhor desempenho em abril de 2012, no primeiro mandato de Dilma Rousseff, quando foi mencionado por 31% dos entrevistados.

No entanto, escândalos de corrupção, prisões de expoentes da sigla e recessão econômica derrubaram a simpatia pela agremiação nos anos seguintes.

Em dezembro de 2016, após o impeachment de Dilma, o partido teve 9% das menções. Com a derrocada petista, o grupo dos sem preferência partidária chegou a 75%. Na série do Datafolha, o PT só teve pior resultado em agosto de 1989, quanto registrou 6%.

Em abril de 2017, porém, o PT pulou para 15% e vem mantendo seu crescimento desde então.

Na série histórica, o MDB liderou a preferência por quase uma década, chegando a atingir 19% em 1992. Após empates com o PT, foi ultrapassado de forma definitiva em 1999. De 2010 para cá não passou mais do que 7%. 

Também se desidratou o DEM (antigo PFL). Depois de registrar 9% em 1997 e 8% em 2002, deixou de pontuar desde 2014.

O PSDB, por sua vez, permanece estável na faixa de 3% a 7% no intervalo de quase 30 anos.

O Datafolha entrevistou 3.240 pessoas em 225 municípios nesta terça (2). O nível de confiança, que é a chance de retratar a realidade, é de 95%.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-03147/2018 e foi contratada pela Folha de S.Paulo. Com informações da Folhapress.

03 out 2018


Por Redação
Anuncie

Artigos Recentes

Oficiais ganham força na campanha de Bolsonaro

Oficiais ganham força na campanha de Bolsonaro

em Política

Um grupo de fiéis aliados egressos das Forças Armadas, liderado por três generais do Exército, vem ampliando seu espaço de influência na campanha de Jair Bolsonaro

23 parlamentares envolvidos na Lava Jato que perderão foro privilegiado

23 parlamentares envolvidos na Lava Jato que perderão foro privilegiado

em Política

Pelo menos 13 deputados federais e 10 senadores não conseguiram um novo mandato nas eleições e agora terão seus casos enviados para a primeira instância

Marielle: homem que quebrou placa já foi secretário de Direitos Humanos

Marielle: homem que quebrou placa já foi secretário de Direitos Humanos

em Política

Candidatos que aparecem em foto que viralizou na rede podem ser denunciados pelo Ministério Público

Candidatos já gastaram R$ 100 mi com militância e mobilização de rua

Candidatos já gastaram R$ 100 mi com militância e mobilização de rua

em Política

São recursos públicos que bancam a maior parte das campanhas

Anuncie