Anuncie

Gilmar Mendes ataca escuta ilegal e provoca ira no Ministério Público


A relação do ministro Gilmar Mendes com integrantes do Ministério Público e de associações que representam os procuradores e promotores azedou de vez. Na terça-feira (8/8), o togado do Supremo Tribunal Federal (STF) deu declarações polêmicas durante uma sessão de julgamento na Corte sobre a atuação do órgão de fiscalização e controle com relação a investigações. Ele atacou os Grupos de Atuação Especializada de Combate ao Crime Organizado (Gaecos), que auxiliam o MP em investigações, e levantou suspeitas sobre a unidade brasiliense, que acusou de realizar escutas telefônicas ilegais, a mando da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Durante sua fala, o ministro citou o nome do promotor Wilton Queiroz, apontado como responsável por comandar uma suposta central de escutas ilegal do Ministério Público, que funcionaria na região do Paranoá: “Falam até do nome de um ex-delegado, hoje promotor, que atua no gabinete do procurador-geral, chamado Wilton Queiroz, que faria esse papel”.

Mendes foi além. “Isto virou um pouco terra de ninguém. Não obstante, o que se ouve? Que hoje é um festival de investigação sem sequer controle judicial. Fala-se que na Procuradoria-Geral hoje haveria 2,8 mil PICs, chamado procedimento de investigação criminal, sem nenhuma figura de controle”, disse.

 

As declarações motivaram a divulgação de pelo menos quatro notas de protesto contra o ministro. O procurador-geral de Justiça do DF, Leonardo Bessa, afirmou, em uma delas, que a atuação do órgão no combate ao crime organizado, à corrupção e a quaisquer outras formas de violação da lei tem sido realizada “de forma responsável e dentro dos limites de atribuição deste Ministério Público”.

Bessa ainda saiu em defesa do promotor de Justiça Wilton Queiroz, destacando “seu histórico de bons serviços” e “qualidades pessoais e profissionais”, que teriam ocasionado o convite para que ele integrasse a equipe da Operação Lava Jato.

O MPDFT esclarece que o Gaeco deste Ministério Público, à semelhança das demais instituições ministeriais, segue os parâmetros estabelecidos na legislação e nas regulamentações internas do Ministério Público. Também está submetido ao controle de órgãos internos, do Conselho Nacional do Ministério Público e do próprio Poder Judiciário"

Leonardo Bessa, procurador-geral do DF

Convite ao ministro
O promotor de Justiça Alexandre Sales de Paula e Souza, coordenador do Centro de Produção, Análise, Difusão e Segurança da Informação, também esclareceu, em outra nota, que as interceptações telefônicas são realizadas por meio das operadoras “e sempre mediante autorização judicial, seguindo-se estritamente os ditames legais”.

“Portanto, qualquer insinuação de que seriam realizadas “escutas numa central ilegal no Paranoá” é absurda, inverídica e atenta contra a missão constitucional do Ministério Público de defesa da ordem jurídica e do regime democrático. Finalmente, este CI-LAB/PGJ convida Sua Excelência para conhecer as instalações físicas desta unidade localizada no Paranoá/DF ou em qualquer outra dependência do MPDFT”, declarou.

O Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais do Ministério Público dos Estados e da União (CNPG) e o Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC) também formularam nota de repúdio. Classificaram a fala de Gilmar como “inapropriada” e disseram que a imputação genérica de suposta atuação ilícita dos Gaecos “consubstancia grave ataque ao importante papel desempenhado pelo Ministério Público”.

Também se manifestou a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), representante de 1.300 membros do Ministério Público Federal. A entidade destacou que “os procedimentos investigatórios criminais mais agudos, todos aqueles que demandam medidas constritivas, ou que se transformam em ações penais, são controlados e verificados, sempre, pelo Poder Judiciário”.

11 ago 2017


Por Redação

Artigos Recentes

DF tem 10 mil pacientes na fila para exame de ressonância magnética

DF tem 10 mil pacientes na fila para exame de ressonância magnética

em Brasília

MPDFT deu prazo de 60 dias para Secretaria de Saúde instalar pelo menos três equipamentos nas unidades da rede pública

PT não tem plano B à candidatura de Lula para 2018, diz senador

PT não tem plano B à candidatura de Lula para 2018, diz senador

em Política

Lindbergh Farias (PT-RJ) diz que partido está convencido de que ex-presidente pode chegar até o fim da campanha

Após retomar mandato, Aécio liga para Temer e agradece apoio

Após retomar mandato, Aécio liga para Temer e agradece apoio

em Política

Presidente "entrou em campo" para garantir, entre outras coisas, que o PMDB votasse a favor do tucano no Senado

Fila do Bolsa Família é zerada pela quinta vez em 2017

Fila do Bolsa Família é zerada pela quinta vez em 2017

em Brasil

Em outubro, mais de R$ 2,4 bilhões serão repassados para 13,5 milhões de família. Pagamento começou nessa quarta-feira (18) e segue até o dia 31

Anuncie