Anuncie

Ex-alunos se unem em campanha para pagar dívida de mais de R$ 100 mil de professor aposentado no RJ


O sentimento de gratidão une ex-alunos em uma campanha para pagar dívidas que somam mais de R$ 100 mil do professor aposentado Maurício Barroso, de 82 anos. O docente tinha um curso tradicional em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, de preparação para o vestibular, mas acabou falindo.

Apesar da inadimplência dos alunos na época, hoje Maurício conta que nunca se importou em dar bolsas e mais bolsas de estudo, além de destinar parte de seu tempo para aulas particulares de graça. Para ele, realizar o sonho dos alunos era o mais importante de tudo.

 

"Eu fazia com que eles gostassem de ir para a aula e para a escola. Tinha sempre o desafio de fazer com que eles entendessem que eram capazes de irem até onde quisessem. Dessa forma, ia ajudando cada um a desenvolver a sua capacidade", afirma o professor.

 

E foi assim que, em quase duas décadas do cursinho MPB Vestibular, que o professor ajudava cerca de 200 alunos, todos os anos, a entrarem para faculdades estaduais e federais. Ele também ficou conhecido por pagar lanches e até passagem.

E são esses alunos, hoje profissionais formados e com carreira, que, em vaquinha na internet, tentam melhorar as condições vida do mestre, em nome do respeito e do que se tornaram.

Diego Inagoki se formou em odontologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Além de ter ganhado bolsa de estudos é grato pelas aulas particulares de geometria e trigonometria do professor Barroso.

 

"Ele permitia que eu acompanhasse a turma do pré-vestibular. Mas o incentivo vai muito além dessa parte financeira. Ele sempre me incentivou a ampliar os horizontes e os conhecimentos", afirma.

 

Eva Maricato se formou em Administração pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Ela também reconhece a importância do ex-professor para a vida dela.

"Enquanto diziam que eu não ia conseguir e que era para desistir, o professor, por outro lado, afirmava que eu era muito capaz, que ainda ia me ver formada. Ele dizia para eu não desistir dos meus sonhos e me fez acreditar que iria passar para uma Universidade Federal".

 

 

Eva, de Petrópolis, RJ, diz que o professor Maurício Barroso a incentivou a acreditar que conseguiria ingressar em uma faculdade pública (Foto: Eva Maricato | Arquivo Pessoal)

Eva, de Petrópolis, RJ, diz que o professor Maurício Barroso a incentivou a acreditar que conseguiria ingressar em uma faculdade pública (Foto: Eva Maricato | Arquivo Pessoal)

A mulher de Maurício, Iraci Barroso, se emocionou em entrevista ao falar do amor dele pela profissão.

"Ele tinha uma preocupação com os alunos, dava muitas bolsas, não se importava com o dinheiro, mas sim em ensinar e aprender", conta.

Maurício Barroso é formado em engenharia em faculdade pública. Na década de 1960, ele afirma que chegou a integrar o movimento estudantil que deu origem a UFF, Universidade Federal Fluminense.

G1 entrou em contato com a universidade abrindo espaço para falarem da importância do movimento estudantil na época, do ensino público e da valorização do mestre, mas a assessoria preferiu não se manifestar.

Nas redes sociais, os ex-alunos pedem ajuda para pagar as dívidas acumuladas por Barroso questionando "quanto vale um professor?" Na vaquinha online eles chegam perto dos R$ 20 mil em arrecadações.

 

Dívidas

 

De forma voluntária, o ex-aluno, agora formado em direito pela UFRJ, José Ferreira Bernardo Junior, de 31 anos, está ajudando o professor Maurício com os problemas relacionados as dívidas que se acumularam ao longo dos anos.

Segundo o advogado, os problemas financeiros que hoje comprometem cerca de 50% da aposentadoria do professor, são provenientes de empréstimos, dívidas trabalhistas e referentes a mobiliário que era comprado para a escola.

"As dívidas começaram depois que ele vendeu os bens que tinha para investir na escola", disse.

Além disso, o José Ferreira afirma que existe um impasse com relação a compra e venda do cursinho em 2015, uma vez que o professor Maurício afirma não ter recebido nada pela transação.

Com relação ao serviço gratuito que está prestando para ajudar ao ex-mestre, José destaca que tem uma dívida com ele.

 

"Se me tornei quem eu sou, foi porque me inspirei nele. O Maurício fazia a gente se enxergar como ser humano e a empreender no sentido de modificar a sociedade para melhor. Dinheiro nenhum no mundo é capaz de pagar o que ele fez por mim, minha família e meus amigos", destaca.

 

O advogado diz que os outros três irmãos também foram alunos do professor e, atualmente, dois estão formados em medicina e um em biologia. Todos cursaram faculdades públicas.

 

O sonho

 

Por causa dos problemas financeiros, Maurício e a mulher Iraci se mudaram para Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, onde estão morando com a filha. Há dois anos o professor está longe das salas de aula.

 

"Às vezes choro de saudade de fazer o trabalho que sempre fiz. Passo a noite toda acordado, estudando, porque não consigo dormir. Tenho muita vontade de voltar a trabalhar, para ver novamente meus meninos entrando para uma faculdade", diz.

 

Segundo Iracy, Maurício sente muita falta de compartilhar o conhecimento e ensinar.

 

"O amor pela educação era a vida dele, a razão de viver", comenta.

Com informações: G1 

15 dez 2017


Por Redação
Anuncie

Artigos Recentes

Câmara mais barata. Como economizar o nosso dinheiro!

Câmara mais barata. Como economizar o nosso dinheiro!

em Câmara Legislativa

Será que é possível diminuir os gastos da Câmara Legislativa do DF? Precisamos acreditar que sim e trabalhar para que isso aconteça, porque adivinha só quem paga essa conta? Exatamente: nós, moradores do DF.

Justiça nega pedido de indenização de Temer contra Joesley Batista

Justiça nega pedido de indenização de Temer contra Joesley Batista

em Política

Presidente moveu ação após o empresário dizer que o emedebista é “o chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil” em entrevista

Notas do ENEM 2017 foram divulgadas e já podem ser consultadas

Notas do ENEM 2017 foram divulgadas e já podem ser consultadas

em Brasil

Saiu a primeira nota do Exame Nacional do Ensino Médio 2016; a nota de redação será divulgada em 19 de março.

Mesmo sem lucro, a empresa Smartmatic quer fornecer impressoras de voto

Mesmo sem lucro, a empresa Smartmatic quer fornecer impressoras de voto

em Brasil, Eleições 2018

O primeiro lance, superior a R$ 65,4 milhões, foi rejeitado pela pregoeira. A empresa, então, baixou a proposta para o valor de referência do edital: R$ 62,6 milhões.

Anuncie