Anuncie

Moro condena lobistas ligados ao PMDB na Lava Jato


O lobista Jorge Luz e o filho Bruno Luz que, segundo as invetigações da Lava Jato, são ligados ao PMDB, foram condenados pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela força-tarefa em primeira instância.

O primeiro a 13 anos e oito meses de prisão, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, e o segundo a seis anos e oito meses de detenção, por lavagem de dinheiro, conforme sentença publicada nesta sexta-feira (20), pela Justiça Federal.

Segundo as apurações, ambos atuavam em prol do partido, nos esquemas de propina envolvendo contratos do Grupo Schahin com a Petrobras para o navio-sonda Vitória 10.000.

Conforme o portal G1, a denúncia foi aceita pelo juiz em abril deste ano e tem como base as investigações que geraram a 38ª fase da operação, batizada de Blackout. Jorge Luz e Bruno Luz foram presos nos Estados Unidos.

20 out 2017


Por Redação
Anuncie

Artigos Recentes

Pré-candidatos ao Planalto somam mais de 160 investigações

Pré-candidatos ao Planalto somam mais de 160 investigações

em Política

Processos vão de crimes políticos investigados pela Lava Jato, a agressões verbais e infrações de trânsito

#Especial 58 de Brasília: mais que uma cidade, um sonho

#Especial 58 de Brasília: mais que uma cidade, um sonho

em Brasil, Brasília

Brasília completa hoje 58 anos. E nesta reportagem especial falamos sobre a história da cidade; a ligação com Tiradentes; a construção da Capital; sobre JK; o plano de Lúcio Costa; a história dos candangos e as belíssimas obras de Niemeyer. Confira!

Ministério Público de SP abre inquérito para investigar Alckmin

Ministério Público de SP abre inquérito para investigar Alckmin

em Política

Pré-candidato do PSDB à presidência é acusado de improbidade administrativa por suspeita de caixa dois de mais de R$ 10 milhões

Torquato: rixa entre Gilmar e Barroso levou à prisão de amigos de Temer

Torquato: rixa entre Gilmar e Barroso levou à prisão de amigos de Temer

em Política

“Para mim, houve muito mais um conflito entre ministros do Supremo do que a proteção da demanda jurisdicional”, declarou o ministro da Justiça

Anuncie