Anuncie

Rollemberg vai recorrer de decisão judicial que muda natureza do IHBDF


O Governo do Distrito Federal recorrerá da decisão judicial que determinou ao Executivo alterar o estatuto do Instituto Hospital de Base do Distrito Federal (IHBDF), passando-o de serviço social autônomo para fundação pública com personalidade jurídica de direito privado. A decisão é da última quarta-feira (6/9), quando o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) concedeu liminar a pedido do Sindicato dos Médicos (SindMédico-DF).

Na prática, isso significa que a entidade fará parte da administração indireta e, por isso, terá de se submeter à Lei de Licitações e à regra de concurso público, entre outras limitações decorrentes dessa natureza jurídica.

Em agenda pública no Sol Nascente, na manhã desta sexta-feira (8/9), o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) disse acreditar no bom senso do Poder Judiciário para reavaliar o caso.

Tenho convicção de que o juiz foi induzido ao erro pelo Sindicato dos Médicos e que essa decisão será revista, porque o Supremo Tribunal Federal [STF] já decidiu sobre o serviço social, o projeto de lei foi aprovado pela Câmara Legislativa e cumpriu todas as formalidades legais"
Governador Rodrigo Rollemberg

Segundo o Sindmédico-DF, o GDF não poderia ter nomeado os membros do conselho administrativo do instituto antes da aprovação do estatuto da unidade de saúde. O juiz Daniel Eduardo Branco Carnacchioni, da 2ª Vara de Fazenda Pública do DF, não viu ilegalidade na indicação dos integrantes do colegiado e entendeu que eles só passaram a atuar após a aprovação do estatuto e a instauração do instituto.

Em sua decisão, no entanto, o magistrado destacou: “a caracterização do Instituto como serviço social autônomo é absolutamente inconstitucional, pois viola princípios fundamentais da administração pública […]. O estatuto e a lei não estabelecem que o Instituto integra a administração indireta. Tal fato é fundamental para que se submeta a todas as restrições do regime jurídico administrativo”.

De acordo com o GDF, com a determinação do TJDFT, medicamentos em falta não poderão ser comprados imediatamente, equipamentos quebrados serão consertados somente após a conclusão de processo licitatório e o quadro de médicos e enfermeiros só poderá ser reposto após encerrado todo o processo que envolve certames públicos.

 

A Procuradoria-Geral do Distrito Federal (PGDF) analisa qual instrumento jurídico adotará para recorrer da decisão.

Autonomia
A intenção de criar o IHBDF é tornar mais dinâmica a administração do Hospital de Base, a maior unidade de saúde da capital, e conferir autossuficiência aos administradores na reposição de insumos e de mão de obra. O acesso, segundo o Buriti, continuará totalmente público e gratuito, e órgãos de controle — como o Ministério Público e o Tribunal de Contas — seguirão fiscalizando. (Com informações da Agência Brasília)

08 set 2017


Por Redação
Anuncie

Artigos Recentes

Polícia Federal deflagra 52ª fase da Lava Jato no Paraná

Polícia Federal deflagra 52ª fase da Lava Jato no Paraná

em Lava Jato

Investigações avançam para a apuração de crimes contra subsidiárias da Petrobras

Tite diz que Neymar não jogará no 'sacrifício' contra Costa Rica

Tite diz que Neymar não jogará no 'sacrifício' contra Costa Rica

em Esporte

Neymar ficou de fora dos dois primeiros treinos da semana por causa de dores no tornozelo direito

STJ pode mandar 197 processos sobre autoridades a instâncias inferiores

STJ pode mandar 197 processos sobre autoridades a instâncias inferiores

em Política

Corte decide na próximas semana se adota entendimento do STF de restringir o foro privilegiado para deputados e senadores

Daniel Alves está fora da Copa do Mundo

Daniel Alves está fora da Copa do Mundo

em Esporte

A comissão técnica da CBF avaliou o jogador e concluiu que ele não terá condições de disputar o Mundial da Rússia

Anuncie