Anuncie

Bolsonaro será diplomado presidente do Brasil nesta segunda-feira

Adicionar aos favoritos
09 dezembro, 2018 Por Redação

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) diplomará, a partir das 16h desta segunda-feira (10), Jair Bolsonaro como presidente da República para cumprir mandato de 2019 a 2022. A cerimônia de diplomação do presidente eleito em 28 de outubro e de seu vice, Hamilton Mourão, será realizada em sessão solene no plenário da Corte. Os diplomas são assinados pela presidente do TSE, ministra Rosa Weber.

Caberá à presidente do TSE abrir a sessão solene e designar dois ministros do Tribunal para conduzirem Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão ao Plenário da Corte. Os eleitos se sentarão à esquerda da presidente do TSE na mesa oficial da solenidade, que será composta por autoridades do Judiciário, Executivo e Legislativo. As informações são do TSE.

Após a execução do Hino Nacional pela Banda dos Fuzileiros Navais, no início da solenidade, a presidente do TSE entregará os diplomas ao presidente eleito e ao seu vice. Em seguida, o presidente diplomado proferirá seu discurso. A presidente do TSE também discursará e, por fim, encerrará a sessão solene.

Cerca de 700 pessoas foram convidadas a assistir à solenidade de diplomação. Elas se dividirão entre o Plenário, local onde ocorrerá o ato solene, e os auditórios I e III da Corte, que disporão de telões com transmissão ao vivo da cerimônia. A diplomação também será transmitida em tempo real pela TV Justiça e no Portal do TSE na internet.

Cerimônia de diplomação

A cerimônia de diplomação é uma etapa indispensável para que os candidatos eleitos possam tomar posse nos cargos que disputaram nas urnas. Ela confirma que o político escolhido pelos eleitores cumpriu todas as formalidades previstas na legislação eleitoral e está apto a exercer o mandato.

Nas eleições presidenciais, cabe ao TSE realizar a diplomação dos eleitos, em cerimônia que acontece no Plenário da Corte.

O ritual é realizado desde 1951, quando Getúlio Vargas retornou à Presidência da República por meio do voto popular. Suspensa durante o regime militar (1964 a 1985), a solenidade voltou a ser realizada após a redemocratização do país, em 1989, com a eleição de Fernando Collor de Mello.

Para receber o diploma, os candidatos eleitos precisam estar com o registro de candidatura deferido e as contas de campanha julgadas. De acordo com o Calendário Eleitoral deste ano, as solenidades de diplomação devem ocorrer até o dia 19 de dezembro.

Escrito por

Redação


Anuncie

Artigos Recentes

Deputado apresenta proposta para evitar traição de cônjuges de parlamentares

Deputado apresenta proposta para evitar traição de cônjuges de parlamentares

em Câmara dos Deputados, Política

O deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) surpreendeu e propôs nesta semana a criação ide uma espécie de fundo financeiro para arcar com viagens de companheiras de parlamentares para, segundo ele, “prevenir relações extraconjugais”.

março 22, 2019

Vamos mudar a Previdência. Ou o Brasil quebra

Vamos mudar a Previdência. Ou o Brasil quebra

em Política

Jair Bolsonaro voltou com sua live no Facebook para sustentar a necessidade de mudanças na Previdência Social

março 22, 2019 Por Kennedy Medeiros

‘Câmara é lar de corruptos e o STF o da Mãe Joana’

‘Câmara é lar de corruptos e o STF o da Mãe Joana’

em Política

Os militares continuam articulados em defesa do que chamam de ‘um Brasil sem corrupção’

março 22, 2019 Por Kennedy Medeiros

Patinadora brasileira se torna melhor sul-americana em Mundiais

Patinadora brasileira se torna melhor sul-americana em Mundiais

em Esporte

Isadora Williams fechou a sua participação no Mundial de patinação artística no gelo na 24ª colocação

março 22, 2019 Por Kennedy Medeiros

Anuncie