'Homossexualidade na Igreja me preocupa', diz Papa


Criticado em parte da cúria por sua postura mais aberta em relação à comunidade LGBT, o papa Francisco afirmou que "se preocupa" com a homossexualidade dentro do clero.

Em entrevista ao livro "La forza della vocazione" ("A força da vocação", em tradução livre), lançado na semana passada, na Itália, pelo missionário Fernando Prado, o líder da Igreja Católica afirma que essa é "uma questão muito séria" e cobra mais "atenção aos candidatos nos seminários".

"[A homossexualidade entre padres e religiosos] É algo que me preocupa, porque, talvez, não tenha sido bem abordada. [...] Devemos cuidar muito da maturidade humana e afetiva na formação [...] Quando não se cuida com discernimento de tudo isso, os problemas crescem. Como eu dizia antes, às vezes eles não são evidentes no começo, mas depois se manifestam", diz o Papa.

"A homossexualidade é uma questão muito séria e que precisa ser identificada adequadamente desde o início nos candidatos [nos seminários], se for o caso. Devemos ser exigentes", acrescenta Jorge Bergoglio, reforçando que "a homossexualidade parece estar na moda", o que acaba "influenciando na vida da Igreja".

No livro, Francisco ainda relata a história do bispo de uma "diocese muito grande" que lhe contou ter descoberto "vários" padres homossexuais. "Ele interveio, antes de tudo, na formação, para criar um clero diverso. Não podemos negar essa realidade", afirma.

Em outro caso, um religioso visitou uma das províncias de sua congregação, encontrou "excelentes jovens" seminaristas gays e perguntou ao Papa se havia alguma coisa de errado. "'Resumindo', ele dizia, 'não é tão grave, é apenas uma expressão de afeto'. É um erro", conclui.

Francisco já foi acusado até de heresia nas alas mais conservadoras da Igreja por suas declarações de abertura a homossexuais, como na ocasião em que disse que os pais não devem "condenar" filhos gay, em agosto deste ano.

Além disso, em maio passado, o Papa disse a frase "Deus te ama assim" a um homossexual vitima de pedofilia. Em outro episódio, logo no início de seu pontificado, surpreendeu o mundo com a pergunta "Quem sou eu para julgar?" ao falar sobre gays.

Recentemente, o Vaticano também usou pela primeira vez o termo "LGBT" em um documento oficial. (ANSA)

Mundo

Artigos Recentes

05 fevereiro, 2020
GDF divulga calendário com 18 feriados e pontos facultativos

As datas constam em decreto assinado pelo governador Ibaneis Rocha e publicado no Diário Oficial do DF desta quarta-feira

21 janeiro, 2020
Ex-governador do DF Agnelo Queiroz é condenado definitivamente por improbidade administrativa

Processo é referente à inauguração do Centro Administrativo do Distrito Federal; não cabem mais recursos à decisão. Defesa diz que não vai comentar.

22 dezembro, 2019
Exército cerca Presídio Federal de Brasília após plano de fuga de Marcola

As informações sobre o plano de resgate do líder do Primeiro Comando da Capital (PCC) partiram de São Paulo

22 dezembro, 2019
Sexo “meia-boca” tem solução? Saiba se vale a pena insistir
em Brasil

Especialistas apontam quais questões comportamentais podem deixar uma transa ruim e como driblá-las