Anuncie

Lei inclui educação moral e cívica em escolas públicas e particulares do DF

Adicionar aos favoritos
13 março, 2018 Por Redação

Uma nova lei do Distrito Federal obriga escolas públicas e privadas a incluir o tema “educação moral e civil” na grade curricular dos ensinos infantil e fundamental. O projeto havia sido vetado pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB), mas a decisão acabou sendo revertida pela Câmara Legislativa.

Publicada no Diário Oficial na última sexta-feira (9), a norma dá prazo de 120 dias para que o Conselho de Educação do DF faça a regulamentação. Na prática, isso significa que as escolas devem começar a aplicar o conteúdo até, no máximo, começo de julho.

A ideia é que “princípios de moralidade e civilidade” sejam inseridos na educação como “conteúdos tranversais”, sem alterar as disciplinas já definidas pela nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Eles apareceriam agregados a matérias tradicionais, como português e história, ou como novas disciplinas – neste caso, seriam acrescentadas à grade obrigatória.

“Conteúdos transversais de educação ambiental, de trânsito, moral e civil podem ser diluídos não apenas em disciplinas existentes, mas também em novas, de acordo com as necessidades locais e com uma mobilidade maior”, explicou o autor do projeto, o deputado Raimundo Ribeiro (PPS).

O deputadol afirma que “não quer adestrar nem catequizar”, mas promover o “fortalecimento da unidade nacional”, “o aprimoramento do caráter” e “o preparo do cidadão para o exercício das atividades cívicas, com fundamento moral no patriotismo e na ação construtiva”.

O que seria ‘conteúdo moral e cívico’?

Como exemplo de conteúdo moral e cívico, Ribeiro citou a história política de Juscelino Kubitschek, a origem da bandeira do DF e do hino de Brasília.

Segundo ele, estas questões – que já fizeram parte da grande escolar – “estão tão diluídas nas disciplinas obrigatórias que os estudantes se formam sem conhecimentos consolidados sobre o Estado e suas instituições”.

“Antigamente, no 2º grau [Ensino Médio] tinha as disciplinas de educação moral e cívica, organização social e política brasileira, estudos dos problemas brasileiros”, argumenta o parlamentar. Raimundo Ribeiro lamenta que “todas essas caíram ao longo do tempo”.

Para ele, o tema é, também, de grande impotância para a atuação política dos jovens. “Tratar a questão da atividade política como essencial ao estado democrático de direito. Hoje, a população não consegue entender o papel de cada uma das instituições.”

O resgate de conteúdos seria uma forma de “incorporar os freios e contra-freios da sociedade, os direitos que temos que são limitados pelos deveres que nós temos”.

Além da aplicação do conteúdo, a ser definida pelo Conselho de Educação do DF, é responsabilidade da Secretaria de Educação promover cursos de qualificação e formação específica para os professores. Profissionais contratados após a promulgação da lei também devem ser avaliados pela qualificação no tema.

Escrito por

Redação


Anuncie

Artigos Recentes

Governadores querem Fundeb permanente na Constituição e União mais colaborativa

Governadores querem Fundeb permanente na Constituição e União mais colaborativa

em Brasília

Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica expira em 2020 e deixa estados em alerta

abril 23, 2019 Por Kennedy Medeiros

GDF estuda firmar convênios para suprir demanda por creches

GDF estuda firmar convênios para suprir demanda por creches

em Brasília

Primeira-dama em exercício, Ana Paula Hoff, prestigiou lançamento da Frente Parlamentar da primeira infância e diz que governo quer ampliar serviços com ajuda do terceiro setor

abril 22, 2019 Por Kennedy Medeiros

Restaurantes comunitários oferecem cardápio especial para celebrar os 59 anos de Brasília

Restaurantes comunitários oferecem cardápio especial para celebrar os 59 anos de Brasília

em Brasília

Opções são inspiradas nos pratos mais apreciados pelo ex-presidente e fundador da capital, Juscelino Kubitschek

abril 22, 2019 Por Kennedy Medeiros

Governo treina brigadistas para a temporada de secas e queimadas no Distrito Federal

Governo treina brigadistas para a temporada de secas e queimadas no Distrito Federal

em Brasília

Ao todo serão capacitados 95 voluntários para atuar no período de seca, que inicia entre julho e novembro deste ano

abril 22, 2019 Por Kennedy Medeiros

Anuncie