Terceira Dose ou Reforço da Vacina Contra Coronavírus Será Aplicada a Partir de Setembro, Informa Ministério da Saúde

Indicada inicialmente para idosos acima de 70 anos e imunossuprimidos a vacinação com a terceira dose ou a dose de reforço será aplicada com as vacinas da Pfizer, AstraZenica ou Janssen.

Nesta quarta-feira (25), o Ministério da Saúde informou que as doses de vacina separadas para terceira dose ou para reforço serão distribuídas já a partir do dia 15 de Setembro para todos os Estados e Municípios do Brasil.

Quem pode tomar a terceira dose de vacina ou a dose de reforço no Brasil?

Após informar que haverá aplicação de dose para reforço ou terceira dose de vacina contra o coronavírus, dúvidas surgiram quanto ao público-alvo que deverá ser vacinado a partir do próximo mês.

Público-alvo

Entenda que existe uma diferença em quem poderá ser vacinado, inicialmente, mesmo que tenha mais de 70 anos.

  • Idosos com mais de 70 anos que completaram seu ciclo de vacina a mais de 6 meses.
  • Pessoas imunossuprimidos (pessoas com baixa imunidade) que tomaram a segunda dose a menos de 28 dias.

Portanto, para saber se você está incluído nessa fase inicial de reforço e terceira dose de vacina atente-se ao período que você foi vacinado.

Pessoas que ainda não concluíram seu ciclo de vacinação, ainda não poderão tomar a terceira dose ou a dose de reforço.

Quem são os imunossuprimos que poderão tomar a terceira dose da vacina?

O Ministério da Saúde, até o momento, ainda não divulgou quais pessoas fazem parte do grupo de imunossuprimidos que poderá tomar terceira dose ou dose de reforça de vacina contra o novo coronavírus.

Normalmente, nesse grupo, é possível encontrar pessoas com câncer, transplantados, HIV e pessoas que mais facilidade de contrair infecções que tiveram prioridade nas primeiras doses, desde o começo do ano.

Testes com doses de reforço no Brasil

Alguns testes já estão sendo realizados no Brasil a pouco mais de 30 dias sobre a aplicação de terceira dose e dose de reforço com as vacinas da Pfizer e AstraZenica.

Diversos países no mundo já anunciaram que vão aplicar dose de reforço em pessoas que já haviam concluído seu ciclo de vacinação.

Israel, Alemanha, Uruguai e agora Brasil buscam uma maneira de garantir a segurança da saúde de pessoas de grupos mais suscetíveis aos impactos que o coronavírus causa no corpo humano.

Depois de realizar diversos estudos sobre a quantidade de anticorpos desenvolvidos com a aplicação da vacina, a ciência já possui a informação de que a quantidade de anticorpos cai alguns meses depois da imunização.

Porém, a infectologista Denise Garrett disse que:

Quando vocês ouvirem falar que anticorpos diminuíram, não se assustem, porque os anticorpos vão diminuir. É natural que diminuam, mas isso não quer dizer que não tem a proteção. Os anticorpos são aquela primeira linha de defesa do organismo, mas por trás dos anticorpos têm outras linhas de defesas.

Sabe-se, através da ciência que a diminuição de anticorpos é um processo natural e isso não quer dizer que a pessoa perdeu sua imunidade.

Estudos estão sendo feitos no Brasil, para entender o tempo de imunidade dos grupos de pessoas, para que possa ser estabelecido um plano de vacinação com mais informações e gerar assim planos de vacinação ainda mais completos para a população nacional.

EUA informa que vai aplicar dose de reforço em pessoas mais velhas

No dia 18 de agosto, o governo americano anunciou que vai aplicar dose de reforço em pessoas mais velhas, principalmente as que moram em asilos e pessoas dos grupos de riscos iniciais que completaram sua vacinação logo no começo da campanha.

Além disso, pessoas que trabalham na área da saúde também vão tomar dose de reforço a partir do mês de setembro.

Para ficar atualizado com as informações sobre vacinação acompanhe o site do Ministério da Saúde.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter

Outras Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.